top of page

+publicidade+

Conversas Maternas - Eduardo Duarte

Nutrição desde o começo


Nutrição desde o começo

A nutrição desde o começo desempenha um papel importante no tão famoso período de 1000 dias, desde o preparo para a gestação até os 2 anos da criança. Para as mães e pais, é importante ressaltar que para se chegar ao momento da concepção, existe um processo que envolve o casal. Afinal, cada um contribui com uma célula (espermatozóide e óvulo) para a fecundação.


E é por isso que o preparo nutricional para a gestação deve envolver o casal e não somente a mulher. Podemos destacar alguns fatores envolvidos nesse processo como: estilo de vida saudável, incluindo a alimentação e suplementação, quando necessária e estar dentro dos parâmetros adequados de peso, que faz diferença na qualidade e produção de óvulos, assim como na mobilidade e número de espermatozoides.


"Se alimentar bem durante os 1000 dias influencia desde o momento da concepção até a vida adulta. A nutrição do adulto começa antes da gestação."

Nutrição desde o começo

Durante a gestação, a qualidade da alimentação materna influencia na variedade dos nutrientes que chegam ao bebê, podendo afetar o crescimento e desenvolvimento dentro do útero. Uma alimentação de boa qualidade pode evitar uma condição chamada de Restrição de Crescimento Intra Uterino, em que existe o comprometimento do crescimento do bebê.


Quando isso acontece, o bebê sofre uma restrição de nutrientes e calorias, e pode se tornar uma criança e/ou um adulto poupador de energia, com um metabolismo mais lento e ser mais propenso a desenvolvimento de obesidade ou apresentar maior dificuldade para perder peso. Outra condição relacionada também com a alimentação é o diabetes desenvolvido durante a gestação, diabetes gestacional, onde o bebê apresenta maiores riscos de desenvolvimento de obesidade, diabetes e outros distúrbios metabólicos.


Formando o paladar

Um fato interessante sobre alimentação da mãe na gestação é que ela pode ajudar a determinar o paladar e o olfato do bebê, uma vez que as o líquido amniótico muda de sabor de acordo com o que a mamãe consome e o bebê acaba engolindo um pouco desse líquido. Isso também acontece durante a amamentação porque o leite materno, assim como o líquido amniótico, tem o sabor alterado de acordo com a alimentação materna. Essa variedade de sabores pode ser um fator facilitador da aceitação de alimentos sólidos na alimentação complementar.


Ao nascer, o único alimento do bebê deve ser o leite materno. Ele influencia o desenvolvimento cognitivo, psicomotor, social, no estímulo da imunidade e proteção imunológica, diminui a probabilidade da ocorrência de alergias, otites e infecções respiratórias, favorece o desenvolvimento da fala, protege contra doenças crônicas.


A introdução alimentar traz com ela uma janela de oportunidades, pois as experiências com a comida, interação e evolução da consistência dos alimentos irão estimular o desenvolvimento do bebê, tanto na mastigação, quanto na parte motora, por exemplo, movimento de pinça. Estudos mostram que o uso prolongado de mamadeira e a transição para alimentos sólidos nos estágios tardios da infância são fatores de risco para o desenvolvimento de seletividade alimentar. Existem alimentos que não podem ser oferecidos nessa fase tanto por causa da falta de maturidade do sistema digestivo do bebê quanto para evitar possíveis doenças crônicas na idade adulta. Mesmo comendo bem, bebês e crianças precisam receber suplementos recomendados pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).


Prato variado

A qualidade da alimentação, com variedade de macronutrientes (proteina, carboidrato e gordura), micronutrientes (vitaminas e minerais) e fibras influenciam diretamente no estado nutricional e fortalecimento da imunidade. Bebês e crianças que se encontram acima do peso, desenvolvem maior número de células de gordura e se essa situação se prolonga por muito tempo, principalmente por falta de intervenção adequada, pode mudar a estrutura física da criança e ela pode se tornar um adulto com mais dificuldade em perder peso.


Deu para entender um pouquinho o porquê do estado nutricional adequado, com acompanhamento de peso e estatura durante todo este período é fundamental. Se alimentar bem durante os 1000 dias influencia desde o momento da concepção até a vida adulta. A nutrição do adulto começa antes da gestação.


*Vanessa Monteiro é nutricionista especialista em Nutrição Materno-Infantil e Nutrição Clínica, com foco em atendimento Pediátrico, Tentantes, Gestantes e Lactantes.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Conversas Maternas
  • Twitter
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
  • LinkedIn
Grupo de mães

Deixe seu email pra receber mais dicas!

Seja bem-vindo!

Grupo de mães
bottom of page