top of page

+publicidade+

Conversas Maternas - Eduardo Duarte

Disfunção Sensorial, uma possível causa da ponta de pé



E lá vamos nós para um assunto polêmico....Andar nas pontas dos pés significa que a criança está dentro do Transtorno do Espectro Autismo? Não necessariamente!


Porém, as disfunções sensoriais estão muito presentes na vida das pessoas com autismo e andar nas pontas dos pés pode ser uma causa da disfunção sensorial.


"Só a partir de uma boa avaliação que podemos iniciar uma intervenção eficaz e capaz de auxiliar essa criança a melhora na postura e no andar. "

Disfunção Sensorial, o que é?

Hoje, acreditasse que uma das causas de andar nas pontas dos pés pode estar, inteiramente, relacionado a disfunções no processamento das informações sensoriais do sistema tátil, proprioceptivo, vestibular e até mesmo o visual.


Algumas crianças desenvolvem respostas negativas ou até mesmo aversivas a algumas situações que demandam o tato, como cortar o cabelo, pentear, cortar as unhas, usar roupas com etiquetas, pisar em superfícies mais ásperas, andar sem calçados, brincar com areia/massinha/slime, por exemplo, são algumas atividades que podem ser desafiadoras para essas crianças.


Outras já necessitam de muito movimento e para isso ficam nas pontas do pés para estimular o sistema vestibular. E ainda há as que apresentam uma pobre percepção do mapa corporal e ficam na ponta dos pés para perceber mais nessa área do corpo. Esses são alguns exemplos para essa possível forma de andar.


Integração sensorial

Como andar na ponta dos pés, dependendo do caso, tem relação de base com o sistema sensorial, uma das terapias mais indicadas é a integração sensorial de Ayres. Cabe lembrar, como dito na coluna do mês passado da Elisabete Cartolano, ter um bom pé é essencial.


Por isso, na grande maioria das vezes a avaliação se dá com fisioterapia e terapia ocupacional, para identificar a causa dessa ponta no pé. Será que é somente estrutural? Muscular? Sensorial? Só a partir de uma boa avaliação que podemos iniciar uma intervenção eficaz e capaz de auxiliar essa criança a melhora na postura e no andar.


Como tratar disfunção sensorial

A partir de uma boa avaliação é realizado um plano de tratamento para que durante os atendimentos seja estimulado as necessidades individuais de cada paciente.


Costumamos usar cama elástica, rampas, balanços, túneis de tecido e escorregadores, entre outros equipamentos que estimulem essas áreas de disfunção e proporcionem a organização sensorial dessa criança. O tratamento envolve a correção da marcha, bem como ajudar a criança a se adaptar melhor às sensações sensoriais recebidas.


Afinal, receber a informação, interpretar e dar uma resposta ao meio não é nada fácil, imagina quando se tem alguma disfunção sensorial presente?! Seu filho anda nas pontas dos pés? Que tal buscar uma ajuda?


*Sofia Régis é Terapeuta ocupacional formada pela UFRJ,Especializada no Conceito Neuroevolutivo - Bobath infantil, com Certificação Internacional em Integração Sensorial de Ayres e Aprimoramento em Neurodesenvolvimento Infantil.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Conversas Maternas
  • Twitter
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
  • LinkedIn
Grupo de mães

Deixe seu email pra receber mais dicas!

Seja bem-vindo!

Grupo de mães
bottom of page