top of page

+publicidade+

Conversas Maternas - Eduardo Duarte

O sentar em "W"



O sentar em W acontece quando os pequenos se sentam colocando os joelhos dobrados para frente e as pernas para os lados , formando um W. É uma consequência de aspectos imaturos no desenvolvimento, ou seja, é ausência de bases importantes que o bebê não adquiriu desde recém nascido.



Por isso os pais precisam estar muito atentos a postura do bebê, pois elas que preparam a criança para não permanecer sentado em w. Vou te explicar o porquê a criança senta em w. Vem comigo!


O bebê típico nasce com a flexão fisiológica, ou seja, todo " encolhido" e até o terceiro / quinto mês de vida adquire a extensão até a região lombar ( os quadris) . Até o sexto mês ele passa por todas as etapas como ganha controle de cabeça, rola, pega os pés, quando de barriga para cima e faz a esfinge, ganhando mobilidade, alongamento, fazendo transferência de peso tanto do lado direito quanto para esquerdo assim como no sentido da cabeça para o quadril.

"Crianças com alterações no desenvolvimento também podem aderir essa posição, portanto, a avaliação também se faz necessária para identificar se há outros fatores alem de motores que estão favorecendo a criança ficar nessa posição."

Ele vai deslocando o centro de centro de gravidade, toda força exercida na pelvis , quadris e membros inferiores farão diferença nesse processo, pois modificarão a angulação do fêmur em relação ao quadril. Quando há gaps ou seja " falha" nessa engrenagem do desenvolvimento, muitos grupos musculares não serão ativados adequadamente, muitas transferências não serão realizadas, forças de torque ( forças rotacionais) não serão exercidas no fêmur , favorecendo assim o sentar em W futuramente.


Então o sentar em W é uma consequência de um desenvolvimento inadequado desde bebê e principalmente no primeiro trimestre de vida? A resposta é SIM!! Fique atenta!

Toda família deveria ser orientada, desde a alta hospitalar, quanto ao posicionamento e aos estímulos adequados, mesmo sendo um bebê típico.


Ao contrário do que muitos pensam, sentar em W é realmente confortável para a criança que ainda tem articulações muito mais móveis que nós adultos, pois a criança consegue distribuir seu peso, diferente da forma convencional e ficar acomodada, diferente de outras posições que exigem ativação muscular.  Nessa posição é possível sustentar todo seu peso em uma única posição e os músculos do tronco tem pouco trabalho para manter a postura.


Quem nunca ouviu? "Não senta assim", "Arruma as perninhas". Não adianta somente solicitar a criança mudar de posição , falar senta direito. Afinal sentar em W uma vez ou outra, por poucos minutos não ha problema, toda criança passa por essa fase, Mas quando a criança faz dessa postura a posição preferida, isso torna -se um problema trazendo sinais como :


  • Probabilidade de luxação de quadril assim como outros aspectos ortopédicos como marcha para dentro, pé pronado e outros

  • Aumenta a chance de torções e contraturas

  • Alterações no desenvolvimento e alinhamento ósseo

  • Alterações posturais

  • Não favorece ativação de grupos musculares principalmente abdominais

  • altera equilíbrio e coordenação

  • Diminui a capacidade de realizar transições, gerando um bebê estático

  • Altera coordenação motora grossa e fina



Como a criança deve se sentar?

Sempre que ver um pequeno sentado em W , estimule a mudança de postura através de um brinquedo ou recursos para incentiva-lo a saber sair e variar de posicionamento como por exemplo:

  • sentar-se com as pernas para frente, que  também é confortável e gera bastante estabilidade, o que pode ser uma ótima opção para eles, já que é o que buscam ao sentar-se em W. Auxilia no alinhamento postural e também permite que eles se sentem sob os Ísquios, que é um osso que constitui a zona inferior da pélvis (quadril) e que apoia o corpo quando estamos sentados ,só fique atenta para ele não ficar "corcunda " , sentar nas costas, que nesse caso também não favorece o desenvolvimento e gera limitações

  • Sentar-se com uma perna dobrada e outra esticada. A alternância  entre as posições em que ela se senta é bastante benéfica e estimula a descoberta dos limites do corpo. 

  • Sentar com as pernas cruzadas como "indio" e •sentar com as pernas para o lado como "sereia"( dissociação de pernas) ou ate mesmo

  • Sentar-se em um banco com apoio da planta dos pés.

Todas oferecem mais estabilidade, permitem a movimentação da criança, melhorando a mobilidade, planejamento, alongamento , ativação muscular, qualidade de movimento e melhor participação da criança ao meio. Afinal após o bebê ter ganho a estabilidade e ser capaz de passar para sentado , esperamos que ele consiga explorar cada vez mais o ambiente ao seu redor , fazendo as transições e ter muitas experiências sensoriais e motoras , não é mesmo?


A alternância das posturas ajuda a criança a desenvolver os músculos do tronco e a formar as primeiras noções de equilíbrio e consciência corporal, porem quando ela assume apenas essa postura pode acarretar alterações  e se tornar um bebê estático , algo que não queremos , afinal esperamos ver um bebê explorador.

A falta das transferências , transições e a diminuição em cruzar a linha média podem acarretar também em um prejuízo no desenvolvimento da dominação manual. A criança não realiza rotações para alcançar os brinquedos que se encontra ao seu redor e também não leva a mão esquerda a alcançar um objeto no lado direito do corpo.


Quando procurar um fisioterapeuta

Como já falei seria muito importante você ter um fisioterapeuta para chamar de seu e poder acompanhar seu filho desde o nascimento através de orientações , trabalhando na prevenção. Uma outra alternativa será quando o problema persiste e  mesmo com a correção constante da família a criança prefere sempre sentar em W. Nesse caso o fisioterapeuta deve ser procurado para realizar uma avaliação global funcional, para verificar a causa específica para a persistência e preferência por essa posição, e se for o caso, traçar um plano de tratamento, as vezes sendo necessário um trabalho em equipe multidisciplinar .

Crianças com alterações no desenvolvimento também podem aderir essa posição, portanto, a avaliação também se faz necessária para identificar se há outros fatores alem de motores que estão favorecendo a criança ficar nessa posição. O desenvolvimento motor da criança é uma fase muito importante e que pode causar impactos negativos na vida adulta. Sendo assim, sempre que tiver dúvidas procure orientação profissional especializado.


*Bete é fisioterapeuta, especializada no Conceito neuroevolutivo Bobath baby e infantil combinado com integração sensorial, Método Therasuit. Pediatric taping e eletroestimulação na pediatria. Controle de tronco e pediatric gait.

Posts recentes

Ver tudo
Conversas Maternas
  • Twitter
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
  • LinkedIn
Grupo de mães

Deixe seu email pra receber mais dicas!

Seja bem-vindo!

Grupo de mães
bottom of page